Blog

FILTROS
01/04/2021

Por que fazer uma manutenção regular?

É comum e até mesmo esperado que, com o passar do tempo e da atividade desempenhada, máquinas e equipamentos sofram desgastes. Corrosão, erosão ou erros no funcionamento são alguns dos exemplos das degradações que podem ocorrer quando o equipamento chega ao seu limite.

Para se antecipar aos desgastes e até adiá-los ao ponto de manter níveis satisfatórios que garantam a operação da planta, a manutenção se mostra indispensável. Não é difícil imaginar que em qualquer empresa/indústria que siga processos contínuos, as chamadas “paradas não programadas” representem grandes prejuízos financeiros.

Neste contexto, destaca-se a relevância de um devido planejamento de manutenções em todo o maquinário. Observar fatores como limpeza, lubrificação, tempo de atividade e qualquer outro sinal de degradação são etapas importantes deste processo e podem fazer total diferença.

Alguns dos benefícios de uma boa manutenção feita nos momentos certos e seguindo as metodologias adequadas são:
• Redução dos custos operacionais;
• Ampliação da vida útil dos equipamentos;
• Fidelização de clientes;
• Economia com multas e interdições resultantes de crimes ambientais;
• Economia de energia elétrica;
• Menos despesas com indenizações por acidentes de trabalho;
• Diminuição da necessidade de comprar novos maquinários (graças ao aumento da sua vida útil);
• Produtos com melhor acabamento (e, consequentemente, maior credibilidade no mercado);
• Aumento da produção.

Para conseguir se beneficiar com o máximo de eficiência dos seus equipamentos é importante estar atento aos tipos de manutenção ideal para cada situação e máquina.


QUAIS SÃO OS TIPOS DE MANUTENÇÃO?

O processo de manutenção pode ser classificado como “planejado” em que abrange as manutenções preventiva, produtiva e preditiva ou “não planejada”, que abrange a manutenção corretiva.


MANUTENÇÃO PREVENTIVA

A partir de procedimentos como limpeza e reparos nas máquinas e peças, esse tipo de manutenção tem por objetivo prevenir paradas e acidentes decorrentes de danos e falhas. Está associada também com a redução de acidentes com os operadores e consequentemente medidas de segurança do trabalho. Por ser, em geral, agendada com antecedência se inclui nas manutenções programadas.


MANUTENÇÃO CORRETIVA

Infelizmente, há situações em que a falha e/ou parada acaba sendo inevitável e o que resta é tentar corrigir os danos da melhor forma possível. Nesse sentido, a manutenção corretiva entra na substituição de peças quebradas, defeituosas ou casos semelhantes.

Certamente esta é a manutenção que gera maior ônus para a organização e ninguém quer ter que chegar a ela. Especialmente se não apenas o equipamento e a operação foram prejudicados, como também um operador. O que só ressalta o valor das demais manutenções.

No final das contas você vai observar com o tempo que serão utilizados todos os tipos de manutenções (ou quase todos) de acordo com os diferentes contextos.

É fundamental que seja contratada uma empresa competente para realização de cada tipo de manutenção e que, além de tudo, analisem os vários fatores que podem interferir em possíveis falhas e degradações detalhadamente caso a caso.

Assim, esperamos que tenhamos esclarecido que uma manutenção adequada deve fazer parte da gestão de qualquer empresa. Tendo em vista que a eficiência dos processos é diretamente interferida por este fator, bem como os impactos financeiros.